Início / Destaques / Aplicativo WhatsApp testa sistema que liga empresas diretamente a usuários

Aplicativo WhatsApp testa sistema que liga empresas diretamente a usuários

O WhatsApp está testando um sistema que vai permitir que empresas falem diretamente com usuários do aplicativo pela primeira vez, segundo comunicações sobre o projeto vistas pela Reuters.

Os testes, que estão sendo conduzidos por um punhado de companhias que são parte da incubadora Y Combinator, são um importante sinal sobre como o WhatsApp planeja fazer dinheiro com seu serviço que agrega mais de 1 bilhão de usuários no mundo.

O WhatsApp ainda não desenvolveu um modelo de negócios voltado a empresas desde a compra da empresa pelo Facebook há três anos por US$ 19 bilhões.

Uma potencial fonte de receita é cobrar de empresas que querem contatar clientes no WhatsApp. A companhia está trabalhando para evitar problemas com spam, segundo os documentos.

O WhatsApp também está pesquisando os usuários sobre o quanto usam o serviço para contatar empresas pelo serviço e se eles já receberam spam, de acordo com as comunicações.

Representante do WhatsApp não comentou o assunto.

Sam Altman, presidente da Y Combinator, afirmou que não tem ciência sobre os testes do WhatsApp, mas acrescentou que “geralmente vemos muitas companhias querendo testar seus produtos com companhias da YC”.

Os testes estão em estágio inicial, disse Umer Ilyas, cofundador da Cowlar, uma das start-ups envolvidas no projeto.

A companhia produz colares para bovinos que coletam dados sobre a atividade dos animais e que recomendam mudanças como forma de melhorar o rendimento.

A empresa está testando os colares nos Estados Unidos e quer usar o WhatsApp para enviar alertas automáticos dos colares diretamente aos pecuaristas caso, por exemplo, um animal não esteja se comportando normalmente, disse Ilyas.

“Isso representa uma grande oportunidade porque em todos os grandes mercados de laticínios (Índia, Brasil e Paquistão) muitos pecuaristas têm acesso ao WhatsApp”, disse o executivo.

Fonte: Folha Online – 08/03/2017




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *